O PROCEL (Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica) foi criado em 1985 com o intuito de promover o uso eficiente de energia elétrica e combater seu desperdício. Este programa promove ações de eficiência energética em vários segmentos da economia, entre eles: Equipamentos, Indústria e comércio, Edificações e Iluminação Pública.
 
De acordo com o site do Procel, estima-se que a economia gerada desde a criação deste programa, de 1985 a 2015, foi de 92,2 bilhões de kWh. Apenas em 2016, segundo a ABESCO (Associação Brasileira das Empresas de Serviços de Conservação de Energia), o Brasil desperdiçou quase 47,5 mil GWh, o que equivale a 46% de toda produção da usina de Itaipu no mesmo período e traria uma economia de 15 bilhões nas contas de luz de todos os consumidores (a preços de 2016). A ABESCO estima também que poderia haver uma redução de 15% de consumo na residência dos brasileiros. Os grandes vilões desse consumo são os eletrodomésticos.
 
 

Energia no Brasil consumida desperdiçada - PROCEL

Figura 1: Estimativa de energia consumida e energia desperdiçada nos últimos 8 anos.

 
 
O Selo Procel tem por objetivo principal identificar os produtos que apresentem melhores níveis de eficiência energética em certa categoria de equipamentos, dessa forma motivando o consumidor a adquirir e utilizar os produtos mais eficientes, ou seja, que economizem mais energia. Produtos que apresentem notas A ou B possuem uma maior eficiência energética, consumindo menos energia que os que indicam notas D ou E. Este objetivo é atingido de duas maneiras, através da afixação do Selo Procel em todas as unidades fabricadas/importadas, a fim de orientar o consumidor na hora da compra, e através da página eletrônica do Procel.
 
O Selo Procel atua como um importante meio de combate ao desperdício de energia elétrica, estimulando os fabricantes a atingirem um maior nível de eficiência energética em seus produtos.
 
Para utilizar o Selo Procel, a empresa solicitante (fabricante/importador) deverá enviar ao Procel um documento afirmando aceitar as condições do regulamento desse serviço, além de atender os critérios necessários estipulados pela categoria do produto. Somente após aprovação, a empresa estará apta a utilizar o Selo Procel.
 
 

Selo PROCEL

Figura 2: Selo Procel

 
 
Outro selo importante a ser usado para informar o equipamento mais adequado, é o PBE (Programa Brasileiro de Etiquetagem), criado pelo Inmetro. Fornece informações sobre o desempenho dos produtos, considerando eficiência energética, o ruído e outros critérios que possam influenciar na escolha do produto. Os produtos são ensaiados em laboratórios e depois recebem etiquetas com faixas coloridas que os diferenciam.
 
 

Selo PROCEL

Figura 3: Etiqueta dos eletrodomésticos.

 
 

Selo PROCEL

Figura 4: Etiqueta das lâmpadas.