Devido o interesse mundial em energia limpa e a ambição de diminuir a poluição causada por carros de motor a combustão interna, uma alternativa que vem crescendo é a de veículos elétricos e veículos movidos a hidrogênio. Esse ramo vem evoluindo a cada ano e apresenta uma grande expectativa para o futuro.
 
Os VEs têm várias vantagens, dentre elas: zero emissão de gases do efeito estufa e custos de utilização inferiores (combustível). A maior desvantagem do veículo elétrico no Brasil é a baixa autonomia, falta de postos de carregamento e o próprio custo do veículo.
 
Já os VHs, possuem vantagens parecidas, principalmente a não emissão de gases do efeito estufa, e também o fato de não ser necessário carregar as baterias elétricas. As desvantagens dos VHs incluem o alto custo dos eletropostos, os custos de obtenção, manuseio e armazenamento do hidrogênio pressurizado e também o custo do veículo.
 
Devido ao custo elevado e a lenta evolução dos estudos de VH no Brasil, atualmente a escolha mais correta para um veículo limpo, são os VEs.
 
Um dos fatores que aumenta muito o custo do VE é o valor das baterias de Lítio-ion, que custa em torno de 320 dólares por kWh. A projeção dos estudos feitos pela Bloomberg New Energy Finance (BNEF) indica que até 2030 deve ficar abaixo de 120 dólares por kWh. Os mesmos estudos indicam que as baterias se tornam financeiramente viáveis a partir dos 150US$ por kWh, o que deve ocorrer entre os próximos 5 anos. Essas baterias podem ser carregadas na rede de energia elétrica ou em eletropostos. Atualmente algumas empresas estão trabalhando na possibilidade de construir postos de carregamento espalhados pelo país. Calcula-se entre 90 e 100 postos já existentes no Brasil. CPFL energia, BMW, Itaipu Binacional em parceria com a Copel e a prefeitura de Curitiba, Fundação CERTI com a UFSC, são exemplos de empresas que possuem eletropostos no território nacional.
 
Existem 3 tipos de carregamento de veículos elétricos. O lento, o semirrápido e o rápido. Visto que a energia fornecida pela concessionária é em corrente alternada e as baterias exigem recarga em corrente contínua, é necessário transformar a CA distribuída em CC, o que aumenta o custo do eletroposto. Cada um dos 3 modos de recarga tem uma aplicação recomendada.
 

  • Lento: Demora entre 6 a 8 horas e é recomendado para residências e empresas, não precisa de infraestrutura especializada de instalação elétrica, pois utiliza tomada comum, circulando entre 10 e 20 Ampères.
  • Semirrápido: Pode ter configuração monofásica (7kW) e trifásica (22kW), dependendo do VE e da disponibilidade de potência da instalação. As tomadas tem entre 220 e 240V, com corrente alternada até 80A. Demora entre uma e 2 horas e deve ser aplicado em espaços públicos, vias públicas e semi-públicas, centros comerciais, shoppings e etc.
  • Rápido: Pode ser realizada tanto em CC quanto em CA. Em CC, uma estrutura de conversão de energia deve ser montada externamente ao veículo, no EP, onde um conversor processa a energia para recarregar diretamente à bateria do VE. A recarga rápida em CA necessita de uma instalação trifásica reforçada para altos níveis de corrente. Possui um tempo de carregamento de 30 minutos para atingir 80% da carga e 1 hora para atingir carga máxima e pode ficar em rodovias, pontos de táxi e pontos públicos em geral.

 
 
O nível de recarga influencia no custo de instalação do eletroposto. Enquanto o lento e o semirrápido não precisam de muitas adaptações eletrotécnicas, o tipo rápido sim, pois necessita de uma elevada adaptação da rede, como instalação trifásica e adaptação dos transformadores. Cada eletroposto pode ter um tipo de Plugue diferente. Os 4 mais utilizados são: tipo 1 SAE J1772, tipo 2 Mennekes, CHAdeMO, Combo CCS tipo 1 ou tipo 2.
 

  • Tipo 1 SAE J1772: É mais conhecido como Yazaki por causa de seu fabricante. Utilizado somente com entrada monofásica para recargas em CA. Carrega em dois níveis de carga. Nível 1 é a recarga mais lenta com tensão de 120V e o nível 2 com tensão de 240V. Esse plugue é compatível com os VEs comercializados principalmente nos EUA e Canadá.
  • Tipo 2 Mennekes: Apresenta a possibilidade de utilizar os 3 métodos de carregamento, todos em CA. Fabricado por uma empresa alemã de mesmo nome.
  • CHAdeMO: Feito para atender recarga rápida e sua alimentação é em CC. Este padrão de conexão realiza a comunicação entre a estação de carga e o VE via protocolo CAN. É muito utilizado no Japão e EUA. É uma associação fundada em 2010 por algumas empresas japonesas.
  • Combo CCS (Combined Charging System): Padrão que permite recarga rápida em CC e também recarga lenta ou rápida em CA. Há dois tipos de Combo, o Combo tipo 1 (SAE J1772) e o Combo tipo 2 (Mennekes). Desde 2013 o tipo 2 se tornou o carregamento padrão em toda a Europa. Foi criada por um grupo de empresas automotivas e outros fabricantes de plugues, para evoluir e estabelecer a CCS como padrão para recargas de VEs.

 
 

Resumo dos Plugues - Mobilidade Limpa

 
 

Resumo Geral - Mobilidade Limpa

 
 

Mobilidade Limpa - Estimativa de Infraestrutura

 
 
Abaixo segue uma imagem ilustrando o cenário atual e estimativo do futuro de veículos elétricos na Europa e quais tipos de plugues e modo de carregamento utilizam.
 

Mobilidade Limpa - Mapa Veículos Elétricos Europa

 
 
O Nissan Leaf e o Tesla Model S foram os VEs mais vendidos mundialmente em 2016. Sendo assim o plugue CHAdeMO é o mais utilizado no mundo. Atualmente no Brasil o único veículo 100% elétrico vendido é o BMW i3. Os outros modelos vendidos são híbridos (motores elétricos + motor de combustão interna). Apesar de não ter VEs à venda, várias empresas no Brasil produziram carros elétricos para testes e utilização própria. Um exemplo próximo é o ônibus elétrico da UFSC, feito em parceria com a WEG, Marcopolo e a Eletra. A expectativa da Associação Brasileira do Veículo Elétrico (ABVE) é de que até 2020, circulem entre 30 a 40 mil carros elétricos, o que deve aumentar os incentivos do governo e investimentos na rede de geração e distribuição de energia. Seguem nas imagens abaixo alguns modelos de veículos elétricos puros.
 

Mobilidade Limpa - Mapa Veículos Elétricos Europa